Feeds:
Posts
Comentários

Como ficamos com dúvidas na reunião passada, listo aqui o que considero como ações fundamentais da Diretoria Executiva, eleita pelo conselho:

1) fazer com que a equipe de desenvolvimento cumpra o que for acordado no contrato de prestação de servivços;

2) aprovar os módulos da plataforma;

3) dar o ok para a liberação do pagamento das etapas do contrato de desenvolvimento;

4) identificar necessidades de melhoria na plataforma para listagem de novas funcionalidades para a nova versão;

5) prestar esclarecimentos, quando solicitados sobre o projeto para o público interno (da associação) e externo (usuários, imprensa, comunidade de Ipanema, outras cidades, outros bairros, imprensa, investidores, órgãos públicos, etc);

6) tomar medidas cabíveis com fornecedores, tais como: manter o site ativo,  problemas de acesso à plataforma, etc;

7) intervir em ações na plataforma que não estejam compatíveis com as normas de conduta adequadas, programando os robôs para que possam atuar;

-8) ações de divulgação fora do bairro e dentro dele, através de palestras, reuniões, telefonemas, participação em seminários, etc;

9) ações de parcerias para estimular outros sites a criarem formatos compatíveis para apresentar dados por bairros;

10) fazer a manutenção deste blog, de uma conta no Twitter e no Facebook e de contas necessárias em redes sociais para o bom andamento do projeto;

11) participar das reuniões internas da associação, bem como, realizar atas e a sua publicação;

12) prestar contas das ações e valores gastos para publicação na Internet;

13) cuidar das contas de banco, pagamentos, etc;

14) levantamento de novas demandas e oportunidades;

15) fiscalizar as atividades dos contratados;

16) tomar ações na necessidade de levantamento de mais fundos, gerenciar as campanhas de levantamento de fundos, relação com empresas de crowdfunding;

Edital da plataforma

Versão 1.1 – 21/11/2011 (beta/discussão interna)

Precisamos preparar um edital para abrir para interessados em desenvolver a plataforma.

A princípio, a linguagem/Banco de dados escolhidos devem ser:  MySQL/PHP/Apache por se tratar de ferramentas livres e códigos abertos.

Devemos pensar na plataforma com quatro módulos:

Administração:

Sub-módulos:

Cadastro de usuários:

  • Visualização pelo próprio usuário de seu perfil (com edição);
  • Visualização pública do usuário (com edição);
  • Agregação do reconhecimento pelos outros usuários a este perfil (comentários, estrelas, visualizações, indicações em redes sociais);
  • Tempo de adesão;
  • Inclusão de foto, endereço, mini currículo, e-mail, CPF (com validação de CPF);
  • Recuperação automática de senhas;
  • Edição pelo usuário/administrador dos dados dos usuários cadastrados (Perfil público e privado);
  • Inclusão de links dos respectivos perfis nas redes sociais;
  • Perfis  (Administrador/Usuário/Administrador de comunidade de amigos);
  • Busca de usuários;
  • Tabela dinâmica de usuários  (mais comentados, melhor avaliados, mais divulgados, mais antigos, mais recentes);
Gerenciamento de comunidade:
  • Denúncia de  problemas/solução inadequado com aviso para administradores por email;
  • Filtro de palavrões, impedindo inclusão de palavrões, com ferramenta que a comunidade pode contribuir para melhorar a lista;
  • Base de dados de palavrões para realizar o filtro;
  • Edição de categorias do banco coletivo de soluções e amigos digitais do bairro;
Amigos digitais do bairro:
  • Inclusão de categorias  (escola, praça, etc);
  • Inclusão de locais de amizade (nome da escola, da praça) com sub-categorias (banco, biblioteca, maternidade, etc);
  • Visualização de usuários que aderiram;
  • Possibilidade de envio de e-mail para usuários que aderiram de atividades na comunidade dos amigos;
  • Espaço de inclusão de link para site de campanha;
  • Espaço de inclusão de link para site de crowdfunding;
  • Espaço de inclusão de link para site de abaixo assinado;
  • Tabela dinâmica de locais de amizade  (os mais comentados, melhor avaliados, mais divulgados, mais antigas, mais recentes);
  • Agregação do reconhecimento da relevância de  problemas/solução pelos outros usuários  (comentários, estrelas, visualizações, indicações em redes sociais);
  • Tempo de inclusão de  local de amizade;
  • Inclusão de fotos, vídeos (links de site externo Youtube), mais detalhes, texto wiki para edição coletiva (wiki de fácil edição);
  • Edição de locais de amizade pelo administrador e criadores dos amigos;
  • Inclusão de  locais de amizade nas redes sociais;
  • Busca de  locais de amizade.
Banco coletivo de soluções:
  • Inclusão de problemas/solução;
  • Visualização de problemas/soluções;
  • Inclusão de links para sites externos;
  • Tabela dinâmica de problemas/solução (as mais comentadas, melhor avaliadas, mais divulgadas, mais antigas, mais recentes);
  • Agregação do reconhecimento da relevância de  problemas/solução pelos outros usuários  (comentários, estrelas, visualizações, indicações em redes sociais);
  • Tempo de inclusão de  problemas/solução;
  • Inclusão de fotos, mais detalhes;
  • Edição de problemas/solução pelo administrador e autor;
  • Inclusão de problemas/solução nas redes sociais;
  • Busca de problemas/solução;
Serviços on-line indicados pelos moradores para serviços no bairro:
  • Espaço de inclusão de link para serviços externos com corte para o bairro;
  • Inclusão de categorias;
  • Tabela dinâmica de serviços online  (os mais comentados, melhor avaliados, mais divulgados, mais antigas, mais recentes);

Versão 1.1 – 22/11/11

O projeto Rio 2.0 visa desenvolver tecnologias e metodologias, através das novas redes sociais digitais, que permitam o cidadão/cidadã do Rio de Janeiro, de uma forma  fácil e gratuita, indicar, acompanhar, fiscalizar, se mobilizar para solução de variados problemas, a partir de um bairro.

Nosso objetivo é utilizar a nova cultura participativa da Internet em cada bairro para que possamos criar uma cidade mais vibrante, participativa.

Queremos aproveitar todo o cenário, charme e momento atual para mostrar ao mundo que não temos só beleza naturais, mas capacidade de inovação e amor pela cidade.

O projeto prevê desenvolver  uma plataforma colaborativa em software livre, que ficará disponível para download gratuito na Internet.

Será uma ferramenta aberta para todo o país, que visa ajudar a facilitar a cultura de participação aberta, de tal forma a reverter o fosso entre o cidadão/cidadã e o espaço público.

É meta também ampliar a criação de micro-comunidades, em torno de problemas hiper-locais, dando a possibilidade de cada um, fazendo pouco, colaborar muito com o todo.

No primeiro momento, espera-se oferecer como serviços na plataforma, com os respetivos benefícios:

  •  – Banco coletivo de soluções – com ele o cidadão/cidadã poderá aprender e ajudar a resolver problema do bairro, a partir da experiência de outros vizinhos que já encontraram uma solução para a necessidade procurada;
  •  – Amigos digitais do bairro – cada cidadão/cidadã poderá escolher formar uma comunidade de amigos,  em torno de micro-locais, tais como uma praça, uma escola, uma rua, uma obra, um pedaço da praia, uma linha de ônibus para que possam de uma forma mais fácil  descrever, registrar (via Wiki/texto colaborativo), acompanhar, fiscalizar, fazer campanhas, coletar dinheiro (crowdfunding/coleta de dinheiro pela rede) para melhorar a qualidade de vida no bairro;
  •  – Serviços on-line no bairro – ajudar a redirecionar um conjunto de serviços on-line hoje presentes na Internet que não oferecem um serviço de busca/corte por CEP. Por exemplo,  compra de produtos ou serviços alternativos, compra e troca de livros, compras coletivas de pessoas que operam/vendem no bairro;

Assim,  destaques, propostas, campanhas, mobilizações serão feitas pelos próprios participantes e terão espaço com mais ou menos relevância na plataforma, conforme a indicação dos usuários.

A plataforma trabalhará sob o conceito da criação de algoritmos abertos, ou seja os critérios de relevância serão discutidos com os participantes de forma transparente.

A equipe de coordenação do projeto fará apenas:

  • A coordenação do projeto, junto com voluntários, tanto do bairro como especialistas no mundo 2.0;
  • Melhorias na plataforma;
  • E formas de arrecadar recursos para manter e melhorar o projeto.

Para isso, será aberta uma associação sem fins lucrativos com esse objetivo.

Todas as contas do projeto serão publicadas na Internet para que todos possam acompanhar, fiscalizar e sugerir alterações.

O bairro escolhido para o primeiro piloto é Ipanema pelo fato de ser um bairro internacionalmente conhecido e ser espelho próximo do que é a cidade hoje, incluindo dentro dessa visão forte ênfase de envolvimento das comunidades do em torno, tal como Pavão-Pavãozinho, Cantagalo, etc.

O projeto se chamará Rio 2.0, começando um piloto por Ipanema.

Em funcionando, migrando para toda a cidade.

O piloto servirá de base para expandir o mesmo modelo para outros bairros e cidades.

Estamos em contato com lideranças do bairro, que já estão participando e sugerindo mudanças no projeto.

Por fim, o levantamento de fundos será de forma aberta, utilizando-se de crowdfunding, (coleta coletiva de fundos, via rede) que dentro em breve será detalhado aqui.

Espero que você também se engaje.

Comente abaixo o que acha da ideia, dúvidas e o que podemos melhorar.

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.